Crônica

ABORTO

Cleyton de Paula

Naquele instante
A menina virou mulher
Viu seus desejos e sonhos
Partir seu corpo como uma navalha

Não sentia dor, não sentia frio
Seu desejo era bem maior
As nuvens pareciam assustadas
E com o vento, dela se afastaram

“Olhem para a pobre menina mulher
Que de pés descalços nem sabe quem realmente é
Luta com seus olhares indecisos
Para descobrir onde fica o mais alto precipício”

Do alto da ladeira vem descendo Mocinha
Sua respiração ofegante é a prova do crime
Aqueles momentos fazem efeitos como drogas
Rasgando seu peito por dentro a toda hora.

(…)

As nuvens se foram
Veio a escuridão

O que faz aquela moça gritando,
atordoada no meio da multidão?

“Peguem aquela mulher.
Não é apenas uma menina
É uma assassina
Isso que ela é!”

“Peguem aquela menina
Finjindo ser mulher
Arrancou dela mesma uma vida
Encontrada num cabaré”

::

Texto de minha autoria. A princípio pode ser visto como um texto ‘cru’. Pesado demais. Mais dentro dele busquei abraçar a realidade de forma direta. Isso acontece sempre. É um fato. E nosso país é coberto e ao mesmo tempo ‘encoberto’ por esses fatos. Fatos: em ambos os sentidos.

Anúncios

Sobre sobreamente

Como um admirador nato da Arte e Cultura, analiso o mundo com base no comportamento humano e peço licença para expor a minha opinião. Costumo me enxergar como apenas mais um ilusionista nesse mundo tão caótico. Abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: