Verso Torto

Se estou, não estou também.
Do verso sempre o inverso
Do mau eu sou o bem

Da altitude sou o medo
Das lágrimas a dor
Amanhecer,  se iludir, cá estou.

Ser um verso ou o talvez
O sorrir de uma nova manhã
O entardecer de inverno, ser incerto, porém…

Sentir o amargo da solidão
Ser então o que nunca fui
Ser espelho, motivo eterno, ilusão, amém.

Fugir e esquecer, brincar no por do sol
Observar a cada instante
Que na verdade somos nenhum em um só.

 

Por Cleyton de Paula
Anúncios

Sobre sobreamente

Como um admirador nato da Arte e Cultura, analiso o mundo com base no comportamento humano e peço licença para expor a minha opinião. Costumo me enxergar como apenas mais um ilusionista nesse mundo tão caótico. Abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: