Cartas a Ninguém

Hoje eu comecei a escrever uma música em que fala sobre convivência. Mas aquele viver ‘sozinho’. Onde tu apenas ouve sua própria respiração. Onde você, somente você enxerga o que deseja… E resolvi escrever um pouco analisando o que eu pensava, imaginava e o que creio que muitas pessoas devem se questior: Você cuida do seu jardim?

Às vezes encaramos jardins como algo a mais, onde passamos sem permitir enxergarmos a essência existente naquele ambiente.
Da mesma forma nós muitas vezes deixamos passar fatos óbvios ou necessários que muitas vezes são desfocados assim, sem querer… São ações, pessoas, confusões, ilusões, emoções, confirmações de necessidades que temos. É aquela palavra de conformo que muitas vezes se resume apenas a um “olá, como você está?”.

Deixamos passar momentos que mais lá na frente a gente vai acabar encarando como algo necessário, algo que acabara resultando em fatos injustos, justos, compreensíveis, inacreditáveis ou até impossíveis… Ou possíveis.

No jardim não há somente plantas, flores. Há pássaros, borboletas, pequenos insetos que no jardim fazem muita diferença. Estejam estes sozinhos ou em grande abundancia. E levando isso em consideração eu trago agora pro nosso lado diário. Pra nossa vida, para nosso ciclo de amigos, familiares, para nosso ciclo de trabalho e principalmente de sonhos e vivência.

Nosso jardim não se resume apenas a enxergar as pessoas, mas sim a entender elas. É saber valorizá-las, enaltecê-las em sua plena beleza interior – não somente a exterior. Nosso jardim é um universo infinitamente moldado de sonhos, de possibilidades… Algumas até vistas como impossíveis ou inexplicáveis. Mas, de modo clichê vos pergunto: O que é impossível para você? Sonhar é impossível? Lutar por algo que tu tanto desejas é, para você, impossível? Se é impossível por quê você o almeja? Porque no fundo tu imagina você o conquistando, tendo aquilo contigo, ou aquela pessoa ao seu lado. Pode passar um, dois… quatro, cinco anos. Afinal, o que são anos diante das possibilidades infinitas do amor?

Da mesma forma, falando agora de possibilidades, vejo o jardim como algo tão perfeito para nós. Não trata-se apenas de um lindo lugar para descansar, namorar, conversar. Trata-se de um lugar onde você pode criar um outro lugar. De repente aproveitar o som natural, fechar os olhos e ir bem além do teu imaginário. Partir para uma outra realidade, essa onde permite você calmamente analisar o que te cerca… Talvez assim você consiga enxergar o que há anos te espera: Viver.

Pense nisso e apenas sorria.

Anúncios

Sobre sobreamente

Como um admirador nato da Arte e Cultura, analiso o mundo com base no comportamento humano e peço licença para expor a minha opinião. Costumo me enxergar como apenas mais um ilusionista nesse mundo tão caótico. Abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: