Sorrir em cores

O sorrir em cores.
O abraço.
As dores.
O saber do impossível.
Que existe.

Observar pra temer.
Não dizer para não errar.
Mesmo querendo.
Por fim, aceitar.
Que existe.

Respirar fundo.
Sentir-se firme.
E como coluna de prédio, tremer.
Por saber que de fato.
Existe.

Se quebrar na ausência.
E na presença se completar.
Enganar-se.
Lembrar que não pode existir.
Mesmo já existindo.

Ser fronteira,
Ser ‘besteira’,
Assunto casual.
Que explore em única cor
A mistura de todas as outras

E mostra assim.
Que existir.
Não é nada banal.
Pelo contrário.
Virou essencial.

Por Cleyton de Paula
Anúncios

Sobre sobreamente

Como um admirador nato da Arte e Cultura, analiso o mundo com base no comportamento humano e peço licença para expor a minha opinião. Costumo me enxergar como apenas mais um ilusionista nesse mundo tão caótico. Abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: